António

O António ganhou uma continuação…lá na escrevedeira, a Noemi pediu um texto que falasse de um tempo rápido de forma lenta. Podem ler no blog https://escrevedeirablog.wordpress.com/ Para os preguiçosos vai aqui também: A vila inteira subiu no comboio: Lucília dos tacos barulhentos, Ana Cristina, sua peixeira-sereia, Carlitos nadador-salvador, Padre António da Cruz de Deus e…

De costas para o mar

Pai de peixe sabe nadar…hoje li este texto lindo que o meu pai escreveu, pedi para o colocar aqui, onde sendo lido, exista mais além do olhar. “Numa qualquer mesa de uma qualquer esplanada de uma qualquer cidade á beira-mar num qualquer destes dias.Um copo com um sumo de laranjas algarvias.Para não beber.Apenas para o…

livros

Onde não caiba um suspiro, há espaço para um livro.  

Outras recomendações

Todos os livros são postos à prova. Este foi posto à prova do movimento. Li no avião, no autocarro, na praia e na cama. Passou em todas as modalidades. Já todos sabemos que eu estimo muito muito a Noemi, o que não me tira a imparcialidade. Interessante para pensar as revoluções e o revolucionar-se. Nomeado…

António III

Não dormir pode ser uma coisa energizante. Um sem sentido desses, era logo captado por António. Se havia dias que se levantava ao meio dia, recuperando na manhã o descanso que a noite lhe negara, havia outros em que o sono recusava se desenvolver. Levantava-se António. Tomava o seu banho de sabão azul, passava pelo…

António II

Não se podia então dizer que fosse coisa de preocupação. Não era a renda de casa, nem era um filho que dá medo o caminho que está a tomar, não era uma doença da mãe ou da irmã com quem vivia.Quer dizer. Não era só isso. Era isso e onde já se viu aquela vaca…

senhor António

Acordava sempre cedo. Lembrança do tempo em que fora nadado salvador? Quem sabe. Desse jovem bronzeado, de semblante quadrado e olhos faiscantes sobrara, com generosidade nossa, o faiscantes. Talvez seja uma dessas palavras que soe românticas sem sentido, mas no caso, aplica-se de forma demasiado fotográfica. Era faiscante. Acordava cedo movido pela ausência de imagens…

Karl Ove

Sempre pensei que as epifanias chegam com o movimento. Descobri que a psicanálise explica porquê, deixa ser ideia genial, passa a ser um facto. Agora que a literatura se ocupe de como a vida muda enquanto mexemos o café com o açúcar é coisa que Knausgård aprimora com línguas de gato. Por isso, recomendo.

Sardinha

Quem não o conhece por inteiro, não sabe que o sal tem cheiro. A maresia, esperou a Sophia à beira mar, e as areias douradas, polvilhadas de prata, deixam as marcas da espera. Quem o conhece sabe que tem ritmos de sabão. Tem pele de pimento na brasa. Tem imperial com tremoço. Bola de berlim com…