Ana Maria

O café puro, forte, chamava-a para a cozinha. Tinha gosto de trégua, de carinho. A avó acostumara-a assim e a mãe não suportava nenhum hábito desses dias, excepto esse. No café escuro, passado só para ela, a avó voltava de Pernambuco para a abraçar, a afagar e lhe recordar os joelhos esfolados, os fios de…

um cheirinho

de outro texto   Dois irmãos: um crocodilo, um homem. Um nasceu na Escócia, outro na Bretanha. O mar de um é diferente do mar do outro. Num a água gela, noutro escalda de frio. Warwick e o Homem-sem-nome são filhos do mesmo pai. Esse pai era uma gaivota. Voou demasiado rápido para demasiado longe,…

Cosmo III

Carly, Carolyni, Carlão e ele Cosmo. Carlão era carta fora do baralho. Carly passava verniz em mãos calejadas, lá mesmo, na comunidade. Carolyni estudava. Tinha ideias requintadas e palavras bonitas, queria ensinar crianças. Viu claro o caminho da estrada. Foi num banco, pediu um empréstimo e ali mesmo, olhando a mocinha bonita do balcão, perguntou…

Cosmo II

Quem ele era, esse desenho do acaso, crescia. A gota acariciada, contava-lhe quanto tempo faltava para ser dia, noite, primavera ou inverno. Via sobre esse azul e esse vermelho a unha crescer e desaparecer, os meses que tentou não a roer, nem a mordiscar. Viu o fracasso na ponta do dedo, coberto por cola que…

Cosmo

Transparente, imperfeita, azul e ao final o vermelho polido. Deslizava sobra a superfície perfeita, uma pincelada só feita por algum anjo, só podia ser coisa de anjo, máquina não entendia de perfeição. Via a unha ratada, comida por desigual, os limites redesenhados na ponta do dedo.Tocava a gota e ela escorregava, apanhava outras gotas distraídas…

Recomendações

Porque a ler, também se escreve… Flávio fez o que todo o mundo sonha, deitou pela janela fora o mundo corporativo e abriu a janela à infância. E o fez com absoluta razão de ser. Um livro que te leva, que te agarra, e onde os erros que eu tanto procuro (preguiça, previsibilidade) simplesmente não…

souffle de peixe

Compre o leite, o pão, o quilo de tomate, o peixe e os coentros. Perdão, compre o pão. Antes que nada, ou faça o pão, depende de você. Mas que tenha casca, duro, que o miolo seja escasso sem que o pão seja oco. Que o pão seja denso, com muita crosta, resistente, que endureça….

canção

Tic tac carambola, parafusos sendo mordidos por dentes brancos. Tic tac carambola, maçã que cai da bolsa da compra, rola pela rua, é esmagada por um carro. Tic tac carambola, o gosto da tangerina, antes de estar peluda, antes de estar azeda, quando tem gosto do verão que passa. Tic tac carambola, os ponteiros dos…

Desgostou-se

Será bafo ou será brisa? É bafo. Estamos no inverno, em teoria. Em teoria. Em teoria cada vez me significa menos. Mais vontade de dinamitar o que surge como certo. Faz tanta falta, o que é certo, o que é seguro. Faz falta o proibido. Ainda hoje se falou nisso, falou o Italo Calvino. E…

actividade escrevedeira: algo lento feito rápido

Tem que tirar o dente do siso, tirar os quatro, é melhor, ocupam muito espaço. Dois de cada vez. Abra a boca. Abri. Porque lhe chamam dente do siso, seria melhor dente do tino, prova definitiva do juízo. A picada. Anestesia é melhor para a madurez? Mas não eram os cabelos brancos? O cabelo branco…