colegas a ler

Já estão no blog da escrevedeira, os novos exercícios em aula! Não percam!  

Madrid

Atendia desde sempre ali. Duas salas divididas por três degraus de escada, colocados só para atrapalhar os pedidos, fazia questão de dizer a quem entrava pela porta. Que querem? E os clientes ainda escolhendo a mesa. Ia-se refonfunhando em voz baixa, visivelmente chateado com tais indecisões. Voltava. Chamem-me quando se decidirem!  Ia-se sem deixar cardápio,…

Rosa

Chegara finalmente para identificar o corpo. Sobrinha eleita. A que vivia mais perto, e a tia privilegiava essas practicidades. O médico destapou a tia, juraria que nos filmes era uma bolsa plástica rígida, aqui um atoalhado branco. Assim que viu a testa assentiu, o bico de viuva, o sinal sobre a sobrancelha, era ela. Era…

inverno

Novo conto para a escrevedeira. Em processo.   Bom dia! Que seção você vai? Não sei, venho tratar de umas licenças que tem que enquadrar, cê tá entendendo?Enquadrar lá na banca, pós moços da prefeitura saber que tenho autorização de venda de minhas mercadorias. Que é que você vende? Pandreivi, cêdê, capinha pa celular, capinha…

Ana Maria II

Quando Mariana cumpriu dezoito vieram para a cidade. Ela tinha quinze. Deixara os amigos, a casa, a avó e um amor escondido às claras. Luís também era loiro, de pele sardenta e olho verde. Ela lhe escrevera um bilhete com um poema, um português era o autor, alguém lhe dissera que seus olhos eram como…