Três ondas, um tijolo, um homem

O homem estava de branco. De verão. De festa de casamento na praia. De propósito. Ele estava de branco porque queria estar de branco, comprara a camisa, o calção. Tinha finalidade. Motivo. O Homem levou o tijolo. Roubara ao tijolo. É feio dizer. Mas ninguém compra tijolo à unidade. Um a mais, um a menos,…

Sofia III

Se eu subia de elevador o menino subia comigo, se eu descia, o elevador parava no quarto andar. Perdera a fofura, era demais. Tentei explicar-lhe que às vezes gostava de estar sozinha, sabe, olhar a água da piscina ondando em silêncio, ou pendurar a roupa e sofrer com a queda de uma mola de roupa,…

Sofia II

Deixara o pé abandonado na borda da piscina, enquanto estava e não estava conosco. Foi então que eu tive a pior ideia de sempre. Péssima ideia, e digo péssima com toda a seriedade. Emprestei-lhe o meu creme de mãos. Ponha no pé porque vai arder, ponha no pé porque vai doer muito se você não…

Sofia

Tem cada maluco nessa vida. Pior. Não tem como saber antes. Mudas-te para um apartamento, num edifício novo e não tem como saber a quantidade de malucos por metro quadrado. Se o meu pai soubesse, nunca tinha comprado este apartamento. O vizinho da frente não conversa com ninguém, tem quatro gatos e um tapete cheio…

Sóbrio

Ele era assim como uma floresta, tanto de escura como de clara, sabíamos sempre que a encontraríamos: sépia de dia, branco e negro de noite.Ele era assim, como o sobretudo do teu avô, o meu avô , que trabalhava com têxtil poderia ter tido um sobretudo diferente do teu, mas não tinha. É esse sobretudo,…