Hoje de manhã

Disacredita do que te digo, disacredita, faz troça, fala nas minhas costas, ou cospe o café de tanto rir. Aqui o ortoentediamento amanhece antes do sol. Parece que sonha com isso. Assoa-te, eu disse, assoa-te amor. E ele funga para dentro. Dá para perceber? Para fora amor, aqui no papel higiénico. Não quero, não quero, não quero. Disacredita do que te digo, nem pingava para fora. Tudo ele engolia. Só para me consumir. Fico numa consumição com aquilo que disacreditarias! Assoa-te filho, o papel já todo enrugado na mão. Assoa-te para fora menino! Já antes do sol, eu naquel consumição. Assoa-te! Ortoacredita que é preciso. Não, não, não. Pode disacreditar, foi assim mesmo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Um Site da Web WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: