Para os que não sabem, estou a fazer o curso: Introdução à escrita do romance, com o João Tordo. Ele pediu um exercício, e se à ilha de Robinson Crusoe e Sexta-feira, chegasse de repente…uma Susan?

Susane Wells, vinte e dois anos, Kengsinton Road. Susane Wells, vinte e dois anos, Kengsinton Road. Filha de Paul Wilson Wells e de Margaret Woolf. Irmã de John e Emily. Batizada, crismada, devota. Essa sou eu. Susane Wells, repetia de novo. Quando alguém me viesse resgatar devia sinalizar com o braço e identificar-me. Uma mulher com nome, pai, mãe e paróquia é uma mulher respeitável, mesmo que perdida numa praia deserta.

Susane Wells, vinte e dois anos, Kengsinton Road. O espartilho afogava-me como nem o mar fizera, e eu era Susana Wells. Meu Deus, tende misericórdia de nós! A voz do capitão tomava tudo, a cada vez que a ouvia estalar-me nos ossos moídos, na pele ardida, nos olhos secos, me parecia mais difícil lembrar-me de mim. Ah capitão, se você soubesse como tudo isto é culpa minha! A ira divina caindo sobre a filha desobediente. Que tolice julgar que as acções de um recaem apenas nele. Uma tolice de menina burra, mimada e burra, eu, Susane Wells. Não era toda a história da humanidade um desastre advindo da desobediência de dois imberbes? Era. Toda a gente sabia. Talvez nem toda a gente percebesse isso, como eu percebia agora. A voz do capitão voltava. Voltava. Talvez mais alguém tivesse chegado até ali, estava a perder tempo.

to be continued

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Um Site da Web WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: