Susane IV

O meu nome é Robinson Crusoe e este é o Sexta-feira.- Estendeu-me a mão, vermelha, dedos grossos, rugosos.

É temente a Deus?

Só quando troveja!

Deus não me havia abandonado totalmente, o homem era inglês! Inglês de língua e de humor, e ainda que não parecesse nada, coberto de pelos e cheio de marcas na pele. Estranhas marcas, como unhadas de gato,  caminhos escavados e perfeitamente secos, a pele aí, ligeiramente mais claras. Uma escrita estranha, numa língua antiga, um aviso ou um convite, não saberia dizer. Algo me tinha sido dito que aparentava ser isso. Cicatrizes. O homem inglês estava coberto de cicatrizes. A palavra soube-me a chá.

Homem não come homem! Deus não gosta!

O tal do Sexta-feira falava. Não seria petisco. Procurei semelhantes marcas no corpo do homem azeitona. Não tinha.

Onde estão os outros?

Que outros?

Do meu barco?

Só a encontramos a si menina.

Era verdade então. A voz do capitão tomou todo o espaço dentro do espartilho.

E como se saí daqui?

Não sabemos menina…

O homem inglês colocou-me o chapéu na cabeça e ajudou-me a entrar no que parecia um jardim denso. O homem que era um dia de semana, agarrara os meus sapatos e observava-os enquanto caminhava.

Já dormia na cabana fresca quando me lembrei que nem lhes dissera, que era, Susane Wells de Kensington Road.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Um Site da Web WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: