Ainda

Ainda assim o ano vinha estranho. Abriram lugares de estacionamento, escavados aos passeios. Uma ordem aparente. O carril de bicicletas cheio de pedrinhas miúdas e flores secas e peludas que davam alergias. Pelo chão ainda se podiam encontrar bolotas. Há anos que não via papoilas. Tinha a sensação que este ano haveria. E de sobra….

Distopia?

Já não era preciso morrer, e por isso havia nome para tudo. Para os gostos, para as dúvidas, para as escolhas, para as dívidas, para as ofertas, para as portas da casa de banho, para o seu peso, a sua altura. Já não era preciso morrer, e por isso os relógios altos mediam os passos,…

COISAS

Não tem parado de chover. É bom. Havia sede, fogo e terra. Não tem parado de chover. É bom. Lava, limpa, molha. Quando chove muito, parece que o sol não volta. Não tem parado de chover. É mau. Escorregamos, encharcamos, adoecemos. Não tem parado de chover. É mau. Deprimimos, escorregamos, afogamos.   Dizem que o…